Footwork no Jazz Dance

Quando a gente pensa em footwork dentro da dança, raramente se faz a associação com o Jazz, principalmente porquê depois da apropriação branca, houve uma segregação de uma dança acadêmica versus a dança popular.
Por isso trago hoje aqui um pouco sobre o trabalho de pés no Jazz, comparado com uma das formas de executar dentro do Hip Hop.

Começo trazendo o trabalho de Robert Modestine, que junto de Christian Andongui ensinam e coreografam com o Jazz Rock. Um trabalho de dança que aborda Afro Jazz e Jazz House. Abaixo, trecho de um dos trabalhos dele, intitulado “Et si on remontait le temps?” (“E se voltarmos no tempo?”), Para ver completo, clique aqui.

Et si on remontait le temps, de Robert Modestine

É extremamente visível no trabalho de Robert as referências do House. Tanto que o elenco de bailarinos conta com a participação de Darren Willis, um prodígio atual da dança. Mesmo assim, é Jazz. Logo explico porquê. Antes, vamos falar sobre C-Walk. Umas das danças de footwork do hip hop mais conhecidas. Assista:

Vamos às diferença:

No JAZZ, esse tipo de footwork usa mais o calcanhar e a ponta do pé/metatarso; numa qualidade de “picado” (ou pizzicato para quem tem referência do ballet). Já no C-WALK, os movimentos podem ter essa qualidade também, mas eles são mais deslizados, a partir do calcanhar ou ponta/metatarso.

O collegiate shag é uma das várias danças do swing e usa bastante o trabalho de pés. Esse jeito de dançar é uma herança das danças do ragtime. Veja no vídeo a seguir:

As variações são infinitas e nem falamos do sapateado ou de danças folclóricas do leste europeu ou latino-americanas.

______________________________
Se gostou desse conteúdo, compartilhe. (:

You may also like